Midi – Essa tendência tem história

13

Tá com preguiça de ler? Para com isso, menina! Entra aqui que o post é midi.

Tanto nas passarelas quanto nos corredores dos eventos de moda, o comprimento midi foi visto e muito falado.

Parece que finalmente o midi vai pegar aqui no Brasil. Será? Puxando pelo Google pela memória, vejo notícias desde 2010 de que ele está pra estourar. Daí em diante é um “pega-não-pega”.

É complicado afirmar que o estilo vai ganhar as ruas dessa vez, mas como a maioria das blogueiras de moda ( as novas formadoras de opinião) usaram saias e vestidos midi nos lançamentos das coleções, é bem possível que pegue. Dizem que super promete para o Verão 2015. Considerado complicado de usar, muitas dizem que desfavorece as baixinhas, achata a silhueta, encurta a perna e até mesmo deixa o quadril mais largo.

Mas de onde vem esse comprimento? Por que ele surgiu?

Foi no meio de muitas mudanças que as saias e os vestidos midi surgiram. Não por puro charme ou por acaso, mas uma necessidade. A Primeira Guerra Mundial mudou o rumo de muitas coisas e uma delas foi o comprimento das roupas femininas. Com os homens na guerra, as mulheres tiveram que assumir o lugar deles em muitos postos de trabalho. Os vestidos longos e pesados só atrapalhavam e ter mais agilidade era fundamental. Então, foi assim que, desde 1915, as saias e vestidos subiram até a altura das canelas.  Nessa época, em busca de praticidade, Coco Chanel introduziu o jérsei na moda e adotou o comprimento midi em suas produções. Já no fim da guerra, Jeanne Lanvin também fez muito sucesso com vestidos no tamanho midi.

1928JoanBennetinflapperensemle-tiered charleston-style dress and cloche hat
Vestido Chanel década de 20

Depois dos anos 30, os longos começaram a voltar. Com a Segunda Guerra Mundial as roupas ficaram super masculinizadas, com modelos que imitavam uniformes militares.

A feminilidade foi resgatada nos anos 50 e o tamanho midi voltou com tudo. Foi a vez de Dior revolucionar com o “New Look”. Os vestidos e saias tinham mais glamour e o tamanho midi dominava.

new-look
Vestido Dior década de 50

Sem dúvida você pode criar looks maravilhosos com o midi. Afinal, quem pode duvidar que um estilo adotado por Chanel e retomado por Dior não pode ser algo incrivelmente charmoso? E os vestidos então? Esses sim são lindos em midi! Viram os do desfile da Lolitta? Super atuais e misturados com elementos inspirados no México. Muita cor, muito tricô e muita sensualidade latina.

lolitta-desfile-spfw-verao2015-23-681x1024
Lolitta SPFW Verão 2015

Complicado de usar? Pode até ser, mas com tanta opção no mercado atual o midi é muito mais que possível. O que não faltam são dicas em blogs de como usar. E você? Vai adotar? Beijos

 

Referências:

Livro: A Moda no Século XX – SENAC

Livro: História da Moda – Uma Narrativa de João Braga

http://gnt.globo.com/moda/desfiles/Desfile-Lolitta-no-SPFW-Verao-2015.shtml

13 Comentários

    • É uma controvérsia. Umas dizem que não, mas vai depender de como você vai combinar. Tem que ter muito cuidado com o look como um todo pra não encurtar mais ainda as pernas. Rafinha Gadelha diz: “escolham comprimentos que sejam um pouco abaixo do joelho e apostem nos looks monocromáticos” / “Outra dica para as baixinhas é apostar nas saias de corte reto ou evasê, porque criam uma linha reta na silhueta, dando a impressão de alongamento. Nos pés, nem pensar nas rasteiras. Vamos deixar essa opção para as mais altas”. http://www.rafinhagadelha.com.br/2013/10/como-usar-saia-midi/

  1. Muito bom esse post! É legal saber como a moda surgiu, de onde ela veio, para onde ela vai. Parabéns!

  2. Nossaaa! Ameeei, layout, conteúdo. Parabéns Aline, vou acompanhar sempreee!!!! Adorei a história do midi e arrasou na diva de como as baixinhas podem usar. Bjus

    • Obrigada, Corina. Que bom que gostou. Tomara que vire minha leitora, seria uma honra enorme. :*

  3. Eu chamava esse comprimento te longuete. rsrsrs É a mesma coisa? mudou de nome, ou é diferente?

Comments are closed.